quinta-feira, 29 de julho de 2010

Inconfissões II

Deixei de contar há quanto tempo espero. Deixei de te contar que espero. Já faz um tempo que não conto mais. Não que tenha deixado de perceber que a cada dia a menos riscado na folhinha do calendário é um dia a mais riscado na distância. Quanto mais dias menos coisas para guardar. Esta não é a história que nos salvará do abandono. Não é o Romance que não escrevei e nem escreverei. Daqui nada de bom surge ainda que procure partes boas no meio de toda a podridão. E se consigo enxergar talvez seja só porque idealizo. Ainda tão tua quanto de ninguém, se é que pode entender, mas enquanto tentava dançar com um par percebi que só me cabia o mesmo ímpar.

Se você pudesse, recomeçaria? Partiria do mesmo ponto? Da mesma mesa de bar? Renconstruiria cada passo perdido?

Se eu pudesse de novo fecharia os olhos. E então saberia que algumas respostas não precisam vir. Se eu pudesse de novo.

Toda vez que pego a caneta desenho você com palavras. Desenho querendo apagar.

Mas, sabe, já faz um tempo que não conto mais.

2 comentários:

  1. gostei muito mais do que esperava.

    ResponderExcluir
  2. Lindo, há um tempo já te acompanho, gosto mt do que escreves... se colocar uma parte do seu texto no meu blog e te dar os créditos e referencia pro blog, vc se importa?

    beijoss

    ResponderExcluir